Família Limpeza Organização

Como manter organizada uma casa com crianças?

28 de abril de 2016
org. mae e filha

Este é um desafio diário para os pais de primeira, segunda e até de terceira viagem (rs). Com algumas orientações simples, mas práticas, vamos juntos traçar um caminho para que a organização seja algo possível no rotina da família.

Antes de começar, gostaria que você lesse um post que fiz aqui no blog com o título: “Como envolver os filhos na organização da casa?”. Para ler, clique aqui.
Leu? Leu mesmo? rs……. Então vamos continuar!

Um recado importante para você:

Isso mesmo, meus amigos. Não existe casa perfeita, nem impecável, mesmo sem crianças. Às vezes queremos estipular um padrão tão alto
para a organização da casa que esquecemos que ela é habitada por seres humanos (rs). Devemos estabelecer um padrão mínimo (lugar para brinquedos, lugar para roupas, lugar para livros, etc) e todos os dias ter a disciplina de devolver para o mesmo lugar o que foi usado. Não se cobre tanto! A casa que deve nos servir, não nós a casa, nos dedicando  24h do dia para mantê-la organizada.

O problema não é a casa ESTAR bagunçada, mas ela PERMANECER na bagunça. Estudos comprovam que um ambiente desorganizado deixam as crianças inquietas e com dificuldade de se concentrarem em pequenas atividades do dia (alimentação, dever escolar, etc), por isso é tão importante a família se envolver nesta tarefa.

Um grande problema é que crescemos sendo ensinados a ver a organização como punição, não como algo prazeroso ou parte da vida. Por exemplo: “Menino, guarda esses brinquedos senão você não vai tomar sorvete!”, “Menina, vai arrumar seu quarto senão você não vai ganhar aquele presente!”… e por ai vai. A criança já é condicionada a entender que organizar é uma troca e não um dever.

Ela precisa entender que faz parte da vida, que isso é algo que todas as pessoas devem praticar. Mais do que uma beleza estética no ambiente, a organização proporciona qualidade de vida para todos os moradores, pois sabendo onde está cada coisa, o dia a dia funciona mais leve e sem atropelos. Nada mais gostoso do que ter prazer de entrar e ficar em casa, não é mesmo?

Te convido então a começar a organizar por etapas, dividindo por áreas de atuação. Não se preocupe com a velocidade das mudanças que você quer ver, mas com a qualidade delas. De degrau em degrau, conseguiremos colher os frutos deste investimento.

Vamos ver na prática, como fazer isso:

1) Estabeleça uma Rotina

Desde bebês, nossos filhos precisam entrar em uma rotina para entenderem que existe hora para tudo nessa vida. Hora para comer, hora de estudar, hora de dormir, de acordar, de brincar, de passear, etc. À medida que forem crescendo, a rotina será algo natural, pois ele não saberá o que é uma vida sem rotina, pois foi criado tendo uma.

Vi muito tempo aqueles quadros de regrinhas da “Super Nany” e achava um exagero, mas logo entendi que isso ajuda as crianças e os pais a visualizarem o que deve ser feito, o que ajuda a na educação e socialização. Quando as crianças respeitam as regras dentro de casa, saberão entender e acatar as regras na escola, nos esporte e nos demais ambientes que convive.

Muitos adultos hoje em dia passam por situações constrangedoras porque essa base da educação não foi muito bem feita. Isso proporciona para os pais mais tranquilidade e para os filhos mais limites. Abaixo, um exemplo de um quadrinho que você pode fazer na sua casa para cada filho. Você pode deixar no quarto deles, na cozinha ou em um local da casa que fique de fácil visualização para eles.

2) Tenha um lugar para os brinquedos

Criança é criança e tem que brincar, espalhar tudo mesmo. O problema não é espalhar, é continuar espalhado. A partir dos 2 anos, a criança já começa a entender melhor onde ficam as coisas em sua casa, idade onde os pais já podem começar, aos poucos, ensinarem a criança a devolver para o lugar seus pertences. Não desista nas primeiras tentativas, ela aprende com a repetição.

– Utilize caixas plásticas organizadoras (de preferência transparentes – criança entende melhor visualizando) para separar os brinquedos por tipo (bonecas, carrinhos, bonecos, lego, etc).

– Coloque nomes nas caixas ou figuras que identifiquem seus conteúdos. Assim a criança começa a saber identificar para onde ela deve devolver o brinquedo. Se ela ainda não sabe ler, desenhe o que tem na caixa.

 

– Caixas de papelão forradas com TNT também são indicadas e são um pouco mais baratas que as plásticas. Se colocadas em estantes, você deixa mais espaço livre no chão para que as crianças possam brincar e limita um pouco que elas espalhem todos os brinquedos de uma vez.

 – Cestas de vime são lindas e dão um toque especial. Exige um pouco mais de cuidado, mas se você gosta deste estilo, vale a pena o investimento. A cor padrão é amadeirada, mas pode ser tingida de praticamente todas as cores.- Prateleiras com trilho são ótimas porque você consegue adequar a altura às caixas e cestas que você já tem em casa. Também podem ser encontradas de diversas cores, mas você pode mandar pintar da cor preferida também.

 3) Organizando roupas, calçados e acessórios

 – Cestinhas e caixas organizadoras também são de grande ajuda com estas peças.
– Se seu guarda roupas tiver espaço suficiente, instale aramados na parte interna das portas para otimizar o espaço interno (como na foto da direita).
– Compre cabides do mesmo tamanho e cor, evite os que são muito largos porque ocupam muito espaço.
 
 – Nas gavetas, use caixas plásticas, de sapato (encapadas), potes de sorvete, etc, para separar os itens e facilitar sua vida: fraldas, lenço umedecido, produtos de higiene, remédios, meias, acessórios de cabelo… Tudo pode ficar mais fácil quando tem um espacinho definido para “morar”.

– Fazer dois andares de cabideiro também ajuda a ganhar espaço (foto da direita). Devido as roupas serem muito pequenas ainda, você pode pedir para colocar mais um varão no meio e quando a criança crescer, é só tirar.


Muito importante: pratique o desapego. Sei que muitas roupinhas, calçados e alguns acessórios são tão lindos ou foram tão caros (rs) que é difícil dizer adeus! Mas para que o armário do seu filho não vire um depósito e ele aprenda com você a doar o que não usa mais, pratique desde cedo. Caso você tenha dificuldades em desapegar, clique aqui e entenda como funciona a “Sessão do Desapego”.
 

 4) Local de Estudos

– Este local pode ser pequeno ou no cantinho do quarto, mas valoriza o estudo e a importância deste momento que vai durar por aaaanos na vida da criança. Dentro de suas possibilidades, compre um jogo de mesa e cadeira de acordo com o tamanho do seu filho e ornamente o lugar para que a criança sinta que aquele local é especial e só dela.
– Estipule um lugar para colocar a mochila, cadernos, livros, lápis, etc.

 

 5) Como organizar as coisas na cozinha

– As benditas cestas plásticas na área novamente (rs)! Como são fáceis de limpar e tem de todo tamanho, você pode adaptar ao espaço que você tem disponível. Se você tiver uma gaveta ou uma parte do armário só para colocar os itens das crianças, melhor ainda.

 

(Foto: vidamaterna.com)

– Na falta de armários, achei muito legal a ideia deste gaveteiro também:

 

(Foto: macetesdemae.com)

 

– Achei muito legal a ideia desta mãe: Ela colou alguns ímãs nos copos que os filhos usavam com mais frequência e os colocou na geladeira. Assim, as crianças pararam de ficar abrindo os armários e subindo nos móveis para pegarem seus copos.

 

6) Peça ajuda nas atividades do dia a dia e seja o exemplo deles

Digo sempre para minhas clientes: “Seu filho pode até não fazer o que você fala, mas ele faz o que você faz”. Nada mais contagioso que o exemplo. E que exemplo temos sido para nossos filhos? Mesmo sempre tendo empregados em casa, minha mãe nunca poupou eu e minhas irmãs dos cuidados com a casa, nos envolvia em tudo: limpar o chão, lavar louças, arrumar o quarto, etc. Louvo a Deus por isso porque me preparou para o futuro e me deu segurança de saber me prover, sem ter que depender de terceiros para fazer e ter o que preciso.

Quando a criança é estimulada, ela desenvolve essa confiança de poder realizar algo, se sente útil. Para que as mamães não se sintam sobrecarregadas, não devem fazer TUDO, mas ensiná-las a ajudar para que eles participem da rotina da casa.

Depois de falar, repetir e seu filho ainda não fazer, não faça por ele. Insista, não desista. O que você plantar hoje, você colherá amanhã e a educação é a melhor semente na vida de um filho.

E precisando de alguma ajuda, é só me falar!

LEGENDA USO DO POST

You Might Also Like

Sem comentários

Deixe um Comentário